03 Maio, 2019 15:30

Ciaspi realiza ação de divulgação do programa de conservação vocal para professores estaduais

O projeto Saúde Vocal para professores trabalha na capacitação dos educadores no uso adequado da voz, visando à saúde geral do profissional.

Atender aos professores da rede estadual de ensino, promovendo conhecimentos básicos, voltados para os cuidados e manutenção de uma voz saudável é o compromisso do Programa de Conservação Vocal, “A Voz do Professor”, realizado pelo Centro Integrado de Atenção ao Servidor Público do Piauí (Ciaspi). Nesta sexta-feira, 03, as fonoaudiólogas e coordenadoras do programa, Ludmwyla Carvalho e Naiana Rabelo realizaram uma ação de divulgação aos professores do Centro de Ensino de Tempo Integral CETI Governador Dirceu Mendes Arcoverde, o Colégio da Polícia Militar do Piauí (CPM). 

 

A ação ainda faz parte das comemorações ao mês da voz (abril). Na oportunidade os professores receberam orientações para manutenção de uma voz saudável. “Este foi nosso segundo encontro. Fizemos apresentação de palestra de saúde vocal e também do programa A voz do Professor. A escola nos recebeu de braços abertos e os professores mostraram total interesse na participação do programa”, disse Naiana Rabelo. 

 

O projeto Saúde Vocal para professores que trabalha na capacitação dos educadores no uso adequado da voz, visando à saúde geral do profissional, está sendo finalizado no colégio Estadual Zacarias de Góis, o Liceu Piauiense. O programa é realizado em encontros semanais e teve 100% de adesão dos professores. O Centro Estadual de Tempo Integral (CETI) Helvídio Nunes, localizado na zona norte da capital é também mais um contemplado do projeto com adesão de 90% dos professores.

 

De acordo com a coordenação, através da apresentação de hoje os profissionais de ensino já demonstraram interesse em aderir ao programa. “A visita ao colégio da polícia foi muito boa, a coordenação é muito organizada e prestativa e os professores bastante participativos. Vamos encerrar o programa no Liceu e possivelmente o Colégio da Polícia Militar seja uma das próximas escolas abraçadas pelo projeto”, complementou a fonoaudióloga Ludmwyla Carvalho.