28 Novembro, 2019 15:00

SeadPrev dá início à segunda fase de implantação do Siape

Sistema reúne em uma única plataforma a folha de pagamento de ativos e inativos e a gestão de pessoal.

A Secretaria de Administração e Previdência (SeadPrev) está dando início à mais uma fase de implantação do Sistema Integrado do Administração de Pessoas (Siape). Em janeiro do próximo ano, a Agência de Tecnologia da Informação (ATI), Corpo de Bombeiros, Emgerpi, Secretaria de Estado da Segurança Pública, Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Controladoria Geral do Estado (CGE) vão utilizar o Siape em fase definitiva e, a partir de agosto de 2020, todos os órgãos do Poder Executivo começam a utilizar o sistema em fase de testes, em paralelo com o sistema atual, para uma análise comparativa.

Para discutir a operacionalização do sistema em todos os órgãos do Executivo, o secretário de Estado da Administração e Previdência, Merlong Solano, reuniu, nesta quinta-feira (28), no auditório da Agência de Tecnologia da Informação (ATI), os servidores que atuam nos setores de Recursos Humanos e Folha de Pagamento das pastas estaduais. A expectativa é que, a partir de janeiro de 2021, o Siape esteja funcionando em todo o Estado.

“Em janeiro de 2021, o Siape estará rodando em definitivo. É um sistema completo, que reúne na mesma plataforma o gerenciamento da folha de pagamento de ativos e inativos e a gestão de pessoas, possibilitando avaliar as competências e atribuições dos nossos servidores. O software nos permitirá produzir relatórios gerenciais e controlar a evolução dos gastos com pessoal”, frisou o gestor da SeadPrev.

Fim do recadastramento

Entre as vantagens oferecidas pelo Siape está o fim da necessidade de o Estado realizar a atualização cadastral dos servidores, a exemplo do que foi feito nos anos de 2015 e 2017. “O Siape elimina essa necessidade de fazer recadastramentos periódicos, que geram transtornos aos servidores e despesas ao Estado. O servidor terá acesso ao sistema e poderá atualizar seus dados à qualquer época do ano”, reforçou Merlong Solano.

Por Celina Honório